Porque investir em saúde?

Fiz uma pesquisa em alguns sites da grande rede e recolhi informações super importantes sobre o porque de investir em saúde, e você vai gostar muito de saber. Será economicamente bom saber!



Por que investir em prevenção de doenças e promoção de saúde?
Fonte: InfoSalutis

"Está comprovado que a cada dólar investido em prevenção e gerenciamento de doenças crônicas há uma economia de aproximadamente US$ 3. Doenças cardiovasculares, câncer e diabetes mellitus estão entre as doenças crônicas que mais matam pessoas precocemente no Brasil. Muitas vezes, estas doenças podem ser evitadas através da prevenção, combatendo-se os fatores de risco que influenciam no aparecimento destas doenças, como: tabagismo, sedentarismo, consumo abusivo de álcool, maus hábitos alimentares, etc."




Investir em saúde dá lucro!
Priorizar as crianças é um ato de humanidade e dá resultados econômicos.
Fonte: CartaCapital

"Um estudo da Universidade Harvard patrocinado pelo governo canadense mostra que a política de priorizar a saúde das crianças nos países em desenvolvimento acaba retornando todo o dinheiro investido com lucro nos próximos 20 anos.
São 300% de lucro, por aumento de produtividade da população, e não o fazer pode causar um impacto, por exemplo, no Brasil, de até 10 pontos negativos no PIB, no mesmo período.
O estudo faz parte de um programa canadense de saúde pública chamado “Grandes Desafios Canadá: Salvando Cérebros”.
Em um país onde o investimento do governo é decidido com base no retorno aos bolsos dos governantes será difícil de um investimento para uma década acontecer. Porém, o estudo feito pelo professor Günther Fink e publicado na revista American Journal of Clinical Nutrition mostra que o mundo em desenvolvimento perde 176,8 bilhões de dólares, todo ano, em redução de produtividade por atraso nas carreiras profissionais das crianças quando crescem.
O estudo mostra que nos países de baixa ou média renda, onde há pouco investimento na saúde e consequente baixo desenvolvimento físico e cognitivo das crianças, há uma perda reflexa de quase 70 milhões de anos de educação, se somados anualmente todos os nascidos vivos desses países. Perto de 30% das crianças entre 3 e 4 anos nesses países não atingem o mínimo de desenvolvimento cognitivo e físico esperado. O abismo só se alarga.
Vários estudos mostram que o valor necessário por criança para ter um desenvolvimento adequado nos primeiros anos de vida é de100 dólares, aproximadamente. O trabalho canadense considerou conservadoramente que esse investimento poderia prevenir apenas 20% do atraso de desenvolvimento e sugeriu que o retorno por produtividade nas décadas seguintes fosse de 3:1. Sem levar em conta os ganhos de qualidade de vida e saúde durante toda a existência dessas crianças.
O custo anual na América Latina do atraso no desenvolvimento infantil é de 47 bilhões de dólares, apenas no Brasil é de 11,5 bilhões de dólares. Se considerarmos um investimento anual de 4 bilhões de dólares em ações para o desenvolvimento infantil, e o aumento de produtividade quando esse cidadão cresce, entra no mercado de trabalho aos 20 anos e se aposenta aos 60, o retorno aos cofres públicos do investimento é de 12 bilhões de dólares ao ano. Um retorno de 3 dólares para cada dólar investido!
O programa canadense Saving Brains desenvolve projetos que facilitam o desenvolvimento infantil. Foram investidos 41 milhões de dólares em 107 programas de inovação que atendem mais de 20 mil crianças em risco. O impacto dessas intervenções e seu uso como modelo serão analisados nos próximos anos.
Esse tipo de estudo mostra como nossa responsabilidade com as próximas gerações é gigantesca e afeta a todos nós. Políticas de saúde de longo prazo raramente são vistas no Brasil, pois não trazem voto e pouco dinheiro se pode roubar. Mas, se percebermos que nossos filhos não apenas precisam sobreviver, mas também florescer, poderemos em um futuro próximo mudar um destino que agora se apresenta tão sombrio."


Entenda por que investir em sua saúde é um excelente negócio
A busca de uma vida saudável deve ser nossa maior prioridade

"Já fui sedentário profissional. Até os 28 anos eu levava uma vida totalmente desregrada e sedentária, ou seja, minha alimentação era completamente inadequada e altamente calórica, e também não praticava nenhuma atividade física. Resultado: eu estava acima do peso ideal e após alguns exames de rotina (na verdade eu não fazia exames de rotina) descobri que as minhas taxas de colesterol e triglicérides estavam nas alturas, ou seja, um era forte candidato a um infarto.

Aí a ficha caiu. Até aquele momento os quilinhos a mais não estavam incomodando (já estava casado mesmo), mas após os exames percebi que eu deveria fazer alguma coisa. Iniciei um programa de reeducação alimentar aliado à prática de exercícios físicos. Deu resultado e hoje, aos 41 anos, já participei de várias corridas de rua e meia maratonas.


Iniciei este artigo falando de minha experiência com o objetivo de alertar as pessoas que não se preocupam com a saúde. Pessoas que acreditam que são indestrutíveis e que as coisas ruins só acontecem com os outros. Pensam 24 horas em seus negócios e esquecem do seu bem mais precioso: a sua saúde.
Você certamente conhece pessoas que sempre alegaram não ter tempo para praticar atividades físicas mas após um susto (infarto) encontram o "tempo" para fazer caminhada, etc. Não é assim que acontece? Ou seja, a falta de tempo é a desculpa mais usual para mascarar a nossa total falta de interesse em cuidar da nossa própria vida.
De que adianta ter uma empresa sólida, uma vida teoricamente confortável se você não puder aproveitar isso tudo? Mas é isso que acontece atualmente: profissionais extremamente estressados, que não fazem as refeições corretamente e não conseguem incluir um tempo mínimo em suas agendas para a prática de uma atividade física regular.
Cada pessoa deve encontrar a sua motivação para agir em prol da sua saúde. A minha foi a necessidade de encontrar uma maneira de reduzir os níveis de colesterol sem ter tanta dependência de medicamentos. Portanto, você empreendedor pode encarar isso como um negócio.
Não um simples negócio, mas o maior negócio da sua vida, pois se a sua saúde não estiver bem, como é que você vai continuar os seus projetos? Não vale dizer que quando se aposentar tudo vai mudar, pois até lá pode ser tarde demais. Você tem que mudar hoje, para tentar chegar a velhice num corpo relativamente saudável.

Você não precisar virar um atleta da noite para o dia. Pelo contrário, deve começar as mudanças lenta e gradativamente, pois desta forma seu organismo vai se acostumando aos novos hábitos. Também não precisa abrir mão de alguns prazeres da vida (como aquele chopinho e uma picanha nos finais de semana). O segredo é a moderação.
Quando comecei a caminhar, há 13 anos atrás (30 minutos, 4 vezes por semana) jamais pensei em concluir uma meia maratona (21 km), mas hoje isso é uma realidade e aconteceu naturalmente. Falo naturalmente no sentido de que foi feito com prazer, pois a medida que começamos a praticar exercícios físicos nosso organismo começa a "gostar do negócio" e a sensação de prazer acaba sendo irradiada para todos os momentos do dia. Você fica muito mais disposto para encarar os desafios do dia a dia e há uma visível e extraordinária melhora no nível de humor.
Enfim, os benefícios de uma vida saudável são vários, mas você deve encontrar o gatilho que dará início a esse processo, como também uma atividade que você tenha afinidade. Falando a linguagem do empreendedor, não dá para "terceirizar" ou "delegar" essa responsabilidade, que é exclusivamente sua."
Copyright © 2016, Escolha Viver Bem. Tecnologia do Blogger.